sexta-feira, 5 de julho de 2013

Osga à vista

Imagem retirada da net e manipulada por mim

Ontem estava tanto calor que acabei por adormecer com a janela do quarto aberta. A Mia e a Sushi, que também sofrem com o calor, deviam estar a dormir ao relento porque não as senti aos pés da cama como costume.

Por volta das 3 da manhã acordo com um barulho estranho no quarto. Era a Sushi que tinha entrado de rompante. Percebi que a janela aberta podia ser o suficiente para as duas não me deixarem dormir, já que pereciam estar mais activas que o normal, por isso, resolvi fecha-la. Apaguei a luz e voltei a fechar os olhos. De seguida, senti apenas um som leve. Percebi que as gatas estavam a brincar com alguma coisa. Abri os olhos, acendi a luz e, no chão do quarto, estava algo que não consegui identificar de imediato, tal não é a minha miopia. A mais velha cheirava o objecto estranho e a mais nova andava as voltas e, de vez em quando, dava uma patada na "coisa". Ora bolas, tinha de ir buscar os óculos, não conseguia identificar o que seria. Assim que salto da cama, a coisa começa a andar. Ahhhhhhhhhh!!! Não era um objecto. Era algo com pernas. Era uma osga!!!

O cenário estava montado. As gatas a jogar pingue-pongue com a desgraçada e eu histérica em cima da cama sem saber o que fazer. A pobre bicha estava já nem rabo tinha e quase que podia jurar que tinha a língua de fora. Mal dava um ar de vida e pimba, levava logo uma patada e em poucos instantes já estavam as três no corredor. Percebi que as mercenárias das minhas gatas iam sacudir a bicha até o sol nascer. Não gosto de ver animais a sofrer, mesmo que não simpatize com eles.

Enchi-me de coragem, fui buscar uma pá à cozinha e resgatei a desgraçada das garras das minhas gatas vampiras. E agora? O que fazer??? Em segundos pensei: Eureka! O telhado. Devolvi a pequena ao seu habitat. E lá foi ela, ensanguentada, sem rabo e meio coxa...mas foi à sua vida. Se morreu entretanto não sei, mas isso já é com o Grande Arquitecto, lavo as minhas mãos.

E...não! Não há fotos. Como podem imaginar, para além de ser de madrugada nem sequer me passou pela cabeça fotografar o momento. Eu cá não tenho sangue frio para isso.

14 comentários:

  1. odeio osgas e fico um pouco histérica só de as ver.Se eu tivesse uma osga no quarto, ia gritar histérica, capaz de acordar a aldeia toda (e olha que a aldeia não é pequena!)

    Já o meu irmão se sempre foi fã de répteis e acho-os lindos. C' a nojo!

    bom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sou fã mas...coitada, sofreu tanto :/

      Eliminar
  2. ficou a faltar, o "fim-de-semana" junto da palavra "bom".

    (fui eu que fugi tão rápido da tua osga que nem acabei a frase...)

    ResponderEliminar
  3. "Não há fotos"?
    Tá mal!
    As felinas a divertirem-se e... há sempre alguém do contra.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da próxima vez eu tiro.
      Já entrou uma andorinha, agora uma osga...o que virá de seguida.
      Espero que não seja uma gaivota eh eh.

      Eliminar
  4. Ahahahahaaa...amei!
    Eu chamo-lhe o "PATRÂO" tu o Grande Arquitecto, parece-me bem. Vou adoptar
    Tu e as tuas histórias :)!
    Beijo querida MArta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ya! Para mim é o Grande Arquitecto ;)

      Eliminar
  5. Osga são lagartixas? Não gosto de nada molengo. Aff...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é bem Carolina. Uma osga é diferente de uma lagartixa, mas molenga na mesma :)

      Eliminar
  6. Ui, eu tinha pavor de rastejantes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu é mais de insectos, com répteis posso bem :)

      Eliminar
  7. Ganda mulher! assim é que é!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulinha, tenho grandes exemplos :)

      Eliminar

Talk to me ;)