sábado, 13 de julho de 2013

2013 Optimus Alive |1|

Imagem retirada da net

Dia 12 de Julho
Este ano não houve enganos, fomos direitinhas à porta FNAC, já que o nosso Fã PAC nos permitia aceder ao recinto por uma porta exclusiva, sem filas. Mas destas, não nos livramos para obter a famosa pulseira para os três dias. Depois de toda esta logística, encontrar os amigos, tipo agulha num palheiro. O que vale é que hoje em dia os telemóveis facilitam imenso este trabalho.

Ás 21h20, já estávamos no spot certo para ouvir os Two Door Cinema Club, no Palco Optimus. Um grupo formado em 2007, que embora não seja uma estreia em Portugal, tinha até então passado despercebido, pelo menos para mim. Numa onda de indie-dance foram capazes de fazer saltar uma multidão ao som de alguns refrões mais conhecidos. Para mim, uma verdadeira surpresa, já que se mostraram merecedores de um palco de grandes dimensões. Um bravo e um bis.
Fotografia retirada do FCBK do Optimus Alive - Two Door Cinema Club

Os cabeça de cartaz do primeiro dia, subiram ao palco às 00h15. Os Green Day, uma banda que embora faça parte do meu monopólio musical, nunca se tinha apresentado, para mim,  ao vivo e a cores. Dookie não tarda irá completar 20 décadas e American Idiot 10, mas as músicas parecem intemporais e as letras impossíveis de esquecer. Foram quase 2h30 de espectáculo de rock'n'roll. O vocalista, Billie Joe Armstrong, parecia ter gostado do coro português e pediu-nos uma e outra vez, uma e outra vez (diria...too many times) para cantarolar com ele, enquanto enrolado a uma bandeira portuguesa. 
 Imagem retirada da net 

Deu-nos tudo! Entre as quais as minhas favoritas de sempre "Know Your Enemy","Boulevard of Broken Dreams","Let Yourself Go", "Wake Me Up When September Ends" - até arrepiou -"Chump","When I Come Around","Welcome To Paradise","Basket Case" e a famosa "She". 
E é como vos digo, houve de tudo. O Billie, que não deve ter estado atento à temperaturas de ontem, resolver refrescar o pessoal à mangueirada, depois, disparou literalmente, rolos de papel higiénico numa maquineta de fazer inveja em qualquer local de trabalho (he he), e ainda lançou t-shirt num aparelho que se parecia com um lança misseis. Era ver a multidão a contorcer-se para conseguir meter mão no merchandising. Ao palco, ainda subiu um sortudo de um português- o Manel- que para além de ter tido o prazer de tocar com a banda ainda trouxe para casa a guitarra do vocalista - todos os "cães" têm sorte! (Manel, não é nada pessoal, ok!). Resumindo, o quarentão ainda está para as curvas e superou as minhas expectativas. Muito bem Green Day, muito bem!
Imagem tirada da net 

Mas isto foi ontem, hoje, temos mais...

3 comentários:

  1. Sempre jovem, querida Marta! :)
    Continuação de um óptimo festival e beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ohhh jovem! Quisera eu ainda estar longe do intas para me aguentar mais tempo. A idade física não perdoa :)

      Eliminar
  2. Gostava muito de ver Kings of Leon ao vivo :)

    ResponderEliminar

Talk to me ;)