segunda-feira, 17 de junho de 2013

Dance with me

Imagem retirada da net e manipulada por mim

Na sexta-feira passada, dei por mim, perdida numa festa popular, daquelas festas de terrinha onde os concertos são em toda a sua forma "pimba". Os Santos também se festejam por lá. O cheiro a farturas não me enganou em relação ao local. Mesmo de olhos fechados dava para adivinhar onde estava. O chão, perecia coberto de um manto de papelotes, que aumentavam junto da barraca das rifas, e as crianças da terra corriam de um lado para o outro, felizes por ser um dia de festa. Chegou o "famoso" cantor. Entre aplausos, dirigiu-se à população pedindo que trouxessem o seu par e que se deixassem levar pela música. Pouco depois de ter começado a primeira canção, já o centro da praça estava repleto de pezinhos de dança. Não consegui deixar de olhar, de forma terna, para os casais sexagenários que, de forma perfeita, se deixavam embalar ao ritmo da música. Os pés devidamente sincronizados, as mãos, a dele na dela e a outra no ombro e a dele e a dele na cintura dela. Eles e elas pareciam um só. Hoje já não se dança assim. Não há esta cumplicidade, esta magia. E como eu gosto de ver estes momentos...

Valeu a festa, por este momento.

4 comentários:

  1. Eu ainda no último casamento me fartei de dançar de forma cumplice... até me esqueci de quem estava à volta! ehehe

    Eu sei Martinha!! Aliás, tenho sempre muito cuidado porque sou branquela! Mas estava vento e esqueci-me de protetor nas pernas, pus só no resto do corpo...

    ResponderEliminar
  2. Lá onde mora o amor
    não há dor, não há tristeza,
    lá tem cor, lá tem riqueza,
    lá tem bem, lá tem nobreza.
    Lá onde mora a amizade
    não há rancor, nem falsidade,
    lá tem respeito, lá tem verdade,
    lá tem afeto, lá tem cumplicidade.
    ~Saulo Fernandes
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. Eu também sou fã desses momentos... aqui os velhinhos passeiam juntos de mãos dadas e adoro vê-los :)

    Lindo momento amiga xxx

    ResponderEliminar
  4. Também me encanta, tudo o que descreveste, a festas populares, as crianças felizes, as barracas, os festejos, mas acima de tudo me encantou a cumplicidade, como gostaria de ter algo deste jeitinho pra mim. Mas fico feliz que alguns o tenham. Realmente já não se dança mais assim :(

    ResponderEliminar

Talk to me ;)