quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Factura, para que te quero?

Imagem retirada da net e manipulada por mim

Desde o inicio de Janeiro que o dilema do ano é: Pedir factura com ou sem NIF, eis a questão.
E como habitualmente leio o site do Jornal de Negócios, encontrei aqui, um excelente artigo que esclarece a maior parte das minhas dúvidas, por isso, achei oportuno partilha-lo.

Devem ler o artigo original, no entanto, resumo aqui o que considero mais importante.

De facto existem vantagem fiscais quando solicitamos facturas com número de contribuinte, mas só nos seguintes sectores:

• Cabeleireiros e institutos de beleza;
• Mecânicos de automóveis e motociclos;
• Alojamento e restauração;

Para poder usufruir dessa mesma vantagem temos de:

• Pedir a factura pelo bem ou serviço comprado (nos sectores acima mencionados) e dar o número de contribuinte;
• As facturas têm de ser guardadas durante quatro anos;
• O desconto é concedido por agregado, para efeitos de IRS. Opera como uma dedução à colecta, ou seja, abate directamente ao IRS a pagar;

Na prática, qual o que é que ganhamos com isso?

• É "devolvido" 5% do IVA da compra, até um máximo de 10 euros por cada factura, e com limite global de 250 euros;
• O IVA acumulado durante um ano é dedutível ao IRS desse mesmo ano.

Se eu peço ou não a factura com o número de contribuinte? 
Sim, peço! E vou continuar a pedir. Porque a mim não me custa nada, mesmo nada e pode fazer a diferença, por pequena que seja. É o meu contributo para melhorar o "estado" da Nação.

Nota muito importante: Já agora, é bom esclarecer, que embora concorde com a medida, sou completamente contra a ideia idiota de multar o contribuinte que não pede factura. Infelizmente isto é um país onde se dá uma no cravo e a outra na ferradura, atrás de uma boa ideia, vem sempre outra completamente idiota.

8 comentários:

  1. Querida Marta, mas... sabes que tens de acumular 26 500€, em despesas para que essas facturas possam entrar no IRS? Ah, pois... é só para ricalhaços!
    Beijos grandes e passa lá na Turista, se puderes dar uma ajudinha.
    Beijinhos grandes. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum...sabes que ainda não encontrei isso por escrito. Já enviei um e-mail para o E-Factura para ver se me esclarecem. E sim, o valor é completamente surreal :/

      Vou a caminho...

      Eliminar
  2. se tivermos que acumular um valor de 26.500 euros as facturas que peço não vao dar para colocat no meu IRS, vida de pobre :):)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...é verdade, se de facto o valor mínimo for esse, se bem que eu tenho ideia de que o valor foi reduzido. Deixa ver o que é que as Finanças me respondem.

      Eliminar
  3. O facto de se pedir factura também concordo... o dinheiro não anda "perdido3 (por assim dizer), agora obrigar as pessoas e passar multas caso não as peça já é um autêntico absurdo. Mas Porugal é assim mesmo: 8 ou 80!

    Um beijo doce e obrigada pela partilha xxx

    ResponderEliminar
  4. Eles são tão maus a governar como a passar as ideias... não acertam uma.

    ResponderEliminar
  5. Eu sinceramente não me dou ao trabalho porque a mim não me serve de nada...Ainda mais a maioria dos papeis ja nem tem cor passados 4 anos, deixam de servir...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. É melhor teres o Nif sempre à mão para o usares sempre que respirares.
    :)

    ResponderEliminar

Talk to me ;)