quinta-feira, 18 de junho de 2009

What´s your problem???


Dia 4 de Maio de 2006 escrevi um post falando sobre a possibilidade de ser bipolar.

Recapitulando:

"TRANSTORNO BIPOLAR
Sintomas – O paciente alterna momentos de depressão e euforia. Nas fases de tristeza, os sintomas são os mesmos da depressão. Nas de euforia, o bipolar costuma apresentar alegria exagerada, hipersexualidade, além de pensamentos fora da realidade. Durante uma crise, o paciente pode ter, por exemplo, graves prejuízos financeiros. O transtorno ataca principalmente adolescentes e adultos jovens, e é incurável. Pode ser controlado, mas os episódios aparecem várias vezes ao longo da vida."

Atravesso uma fase que facilmente seria explicada caso me fosse diagnosticada esta patologia. As minhas alterações de humor são constantes. Ora estou super feliz e radiante ou estou de rastos e nem me apetece abrir a boca para dizer o que for. Às vezes tenho ataques de fúria e apetece-me berrar com toda a gente e praguejar como se não houvesse amanhã, mas atenção, na maioria das vezes fico-me só pela vontade (menos mal). Outras vezes apetece-me sair à rua e abraçar todos os seres vivos com quem partilho este magnifico planeta, sinto-me feliz e contente. Pfuuuuu, vá-se lá entender.

Mas não somo todos assim? Ok, uns mais outros menos, mas todos nós temos dias melhores e outros piores. Eu assumo que tenho tido mais dias piores mas prometo (to my self) que não vou ser negativa e sorrir mesmo quando encontro contratempos. Até já faço uma terapia matinal para preparar os músculos faciais para todos os sorrisos do dia, e gargarejo para ter uma voz doce e delicada. E dá resultado, perguntam?!? É pá, não sei! Perguntem a quem me rodeia (sinceramente acho que estou longe do pretendido).

Embora esteja sempre a dizer que preciso é de um xanax, não sou a favor de medicação e mesmo sabendo que não durmo tranquila uma única noite recuso-me a utilizar “drogas” para me conseguir equilibrar. Fumo, fumo que nem um cavalo. Ok, um contra censo, bem sei, mas sabe-me tão bem. Só evito de o fazer à noite para ver se durmo melhor.

Cheguei então à conclusão que não é a bipolaridade que me causa esta instabilidade emocional, é tudo o que me rodeia. Eu sou lixada, tenho um feitio complicado e sou na grande parte das vezes uma otária, isto porque o meu grande problema é: silêncio.

Falo quando não é necessário e calo-me quando devia falar. Grito sempre em silêncio e deito-me com todos os meus problemas na esperança de os perder a meio da noite (keep telling yourself that).

Sim, é isso! Bem sei que as pessoas consideram que falo pelos cotovelos e que pareço ser super extrovertida mas o problema é que não falo sobre o que é realmente importante. Limito-me as trivialidades e evito falar sobre o que realmente me preocupa. Isto é a minha patologia: i´m coward!

My name is Marta and I have been a coward for 32 year!

(há algum AA para este tipo de problemas?)



3 comentários:

  1. Miga, então?
    Cobarde?
    Ainda bem que tás quase de férias!
    Cadê o SOL? Venha ele!
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. A doença bipolar tem outro tipo de sintomas além dos referidos... por isso não há razões para qualquer alarme! E também não és nenhuma otária ou cobarde!
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. Rodela, Rodela...não imaginas a falta que me fazes. Entendes-me como ninguém, mesmo quando estou em silêncio ;)
    Sim, estou de férias e a recuperar. Vou voltar com o gás todo!
    Beijos Limão!

    ***

    Bhixma, obrigado pelas palavras. Estás sempre por perto :). Acho que isto são apenas desabafos...e acredita que é isto que preciso, de desabafar.
    Beijos

    ResponderEliminar

Talk to me ;)