segunda-feira, 18 de abril de 2016

RU TALKING 2 ME?


HI… HRU? SRY IM GOING 2 B L8 2NITE. CANT LEAVE TILL 8. WAN2 EAT L8R? PLZ TXT ME IF U CAN B4 6. G2G. T2UL8R

Perceberam? Se sim, então este post não é para vocês. Se não perceberam eis o que o texto de cima realmente quer dizer.

Hi, how are you? Sorry, I’m going to be late tonight. Can´t leave till 8. Whant to eat latter? Please text me if you can before 6. Got to go. Talk to you latter.

E ainda neste contexto, aqui ficam alguma abreviaturas em inglês que são utilizadas, principalmente, na troca de mails e conversações online (FCBK, Gtalk, WhatsApp, etc). De certo que reconhecem algumas.

AKA - Also Known As (Também conhecido por)
AFAIK - As Far As I Know (Tanto quanto eu sei)
AFK - Away From The Keyboard (Longe do computador)
ASAP – As Soon As Possible (O mais rapidamente possível)
BBL - Be back later ( Volto mais tarde)
BBS - Be Back in a Second (Volto num segundo)
B4 – Before (antes)
BRB - Be Right Back (Volto já)
BTW - By The Way (A propósito…)
FAQ - Frequently Answered Questions (Respostas às perguntas mais frequentes)
FYI – For Your Information (Para tua/sua informação)
FYEO – For Your Eyes Only (Apenas para os teus olhos)
GTG ou G2G - Got to go (Tenho que ir)
HTH - Hope This Help (Espero que isto ajude)
IAE In Any Event (De qualquer modo)
IMHO - In My Humble Opinion (Na minha modesta opinião)
IMO - My Opinion (Na minha opinião)
JK ou JJ – Just Kidding ou Just Joking (a brincar, na brincadeira)
LOL - Loughing Out Loud (Rir às gargalhadas)
NFW - No Fucking Way (Nem pensar nisso, de jeito nenhum)
NP - No Problem. Tradução (Sem problema)
NRN - No Reply Necessary (Não requer resposta)
OMG - Oh My God (Oh Meu Deus)
OTOH - On The Other Hand (Por outro lado)
PVT – Private (privado, pessoal, particular)
ROTFL - Rolling on the Floor Laughing (Rolando no chão de tanto rir)
YGM - You Got Mail (Ver o e-mail)
TIA - Thanks In Advance (Antecipadamente grato)
TTYL - Talk To You Later (Depois falamos)
2DAY – Today (Hoje)
2MORO – Tomorrow (Amanhã)
2NITE – Tonight (Esta noite)

terça-feira, 12 de abril de 2016

Compal Veggie

Recebi uma caixa enorme e pesada. Não fazia ideia do que lá vinha dentro, embora soubesse que seria da Compal. Quando abri a caixa fizemos Ahhhhhhhh em uníssono. Que kit de experimentação fantástico.

O kit consiste em 3 embalagem COMPAL VEGGIE de 1L de Tomate, Multi Veg e Beterraba Maçã; um 1 copo; 1 cocktail set (composto por 1 shaker, 1 doseador, 1 coador e 1 colher); 1 carta de sugestões COMPAL VEGGIE.

Este fim de semana vou experimentar fazer alguns dos cocktails que estão na carta de sugestões Compal veggie que parecem ser uma delicia.

E tu? Queres ser um youzzer™? Inscreve-te aqui e insere este código noi4c5gzvf.
Não têm qualquer tipo de custos, só precisas aderir, experimentar e depois passar a palavra :)

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Dicas de Roma

Da primeira vez que fui a Roma, não partilhei as dicas de viagem, mas desta vez. não tem como falhar. Vou tentar ser o mais sucinta possível, de qualquer forma, este post é de leitura obrigatória para quem vai de viagem e quer levar as coisas mais ou menos planeadas.

Meteorologia
E há lá coisa melhor na Europa que o calor mediterrânico? Cheguei a apanhar 22 graus, em pleno mês de Março. De noite estava sempre mais fresco, mas as temperaturas nunca eram inferiores a 10 ou 12º. É bom acompanhar os boletins meteorológicos nas semanas que antecedem a viagem, para perceber a variação das temperaturas máximas e mínimas para poder ir de viagem devidamente preparados.

Moeda
Euro! Viva a Europa. Não há problema com câmbios nem taxas de moeda estrangeira. Ainda assim, levei dinheiro de Portugal para não ter que andar por lá a fazer levantamentos. Só usei o cartão para pagar o hotel e as compras no Duty Free.

Idioma
Il migliore è quello di imparare a parlare italiano! Os italianos deviam ser simpáticos, é certo, não fossem latinos, mas a verdade é que a maioria é nariz empinado e alguns são até mal criados e antipáticos. É meio caminho andado se derem uns toques em italiano porque os desarma. Muitos não gostam/ não falam inglês e se perceberem que nos estamos a esforçar em parlare italiano, tornam-se mais acessíveis.

Hotel
Fazer as reservas no Booking já se tornou um hábito, até porque tenho ficado sempre bem servida. Optei por ficar no Hotel Julia, onde fiquei da primeira vez que fui a Roma. Fica a 2 minutos a pé da estação de Metro Berberini e a 5 minutos a pé Fontana di Trevi. Foi o melhor que consegui tendo em conta localização/qualidade/preço.

Do aeroportoFiumicino para Roma
Optei por ir de comboio até Termini, com Trenitalia – Leonardo Express. A viagem dura 30 minutos e custa 14 euros €. Se apanharem lugar sentado, a viagem faz-se muito bem. Em Termini é só apanhar o Metro para a área do vosso hotel, no nosso caso seguimos para Berberini (linha A).

De Roma para o Aeroporto
Em conversa com o recepcionista do Hotel, chegamos à conclusão que ficaria 2 € mais barato ir de "Taxi". Mas o "Taxi" era um carro particular em serviço do Hotel. De qualquer forma, a viagem para além de mais barata (60 € de "Taxi"/ 62 € de transportes para 4 pessoas) foi também mais confortável, já que não foi necessário andar com as malas de um lado para o outro nos transportes públicos. Vale a pena confirmar com o hotel onde estiverem hospedados se eles vos "contratam" transporte de volta ao Aeroporto.

Metro
Para quem vai fazer apenas uma ou duas viagem por dia, basta um BIT que custa 1,50 € e é valido por 100 minutos. Existem opções de bilhetes diários mas o mais barato custa 7,00 € e dá para 24 horas, mas só compensa se fizermos mais de 5 viagens de metro por dia, o que me parece inviável se a ideia é aproveitar a cidade ao máximo. Para agilizar o processo, convém ter trocos para as máquinas de aquisição de bilhetes.

Restauração
Comer em Roma pode ser caríssimo, por isso, há que fazer uma ronda aos preços para poder comprar e optar pelo que nos é mais favorável ao bolso.
Atenção à taxa de serviço e aos locais que utilizam comida congelada, por norma, esta indicação consta na carta.

Compra de bilhetes na net
Sugiro que comprem os ingressos pela internet. É certo que todos os sites cobram um fee sobre a compra, mas acreditem que valem bem a pena quando se aperceberem das filas para quem vai comprar bilhete no local.
Para ajudar, deixo o link de cada um dos sites onde comprei os meus bilhetes:
Museu Vaticano
Galeria Borghese
Coliseu + Palatino + Fórum Romano 



Para quem quiser mais pormenores dos nosso circuitos diários, aqui ficam os nossos diários de bordo.

Circuito 1º dia
Chegámos ao Hotel por volta das 15h00. Fizemos o check in e, depois de largar as malas nos quartos, zarpamos para o nosso primeiro passeio. Como podem ver pelo mapa, o nosso percurso passeou pela Fontana di Trevi, pelo Panteão e Piazza Navona. Pelo caminho passamos por ruas cheia de movimento, pois o nosso trajecto foi feito pela zona pedonal.

Notas adicionais mas igualmente importantes:
No primeiro dia jantámos na Piazza Navona, no restaurante Panzione. Restaurante tipicamente italiano, com esplanada, aquecimento a gás, velas sobre a toalha aos quadradinho branca e vermelha, acesso a wifi e música ao vivo de uns fulanos que tocavam na praça. A comida óptima, pastas e pizzas...uma maravilha. Para beber, pedimos água e como veio para a mesa uma garrafa de vidro (0,75 l) que parecia reutilizada, pareceu-nos ser água da torneira, o que acontece em alguns países da Europa. No final bebemos duas garrafas e pagámos 8,00 €, Sim, 8,00 € por 1,50 l de água. Um roubo! Com a conta chegou também um extra de 14 euros de taxa de serviço. Aprendemos a lição e nas seguintes refeições fomos mais "contidos".

Circuito 2º dia
O objectivo era estar no Museu do Vaticano às 09h00. Fomos de metro até Ottaviano e que fica a uns minutos da entrada do Museu, mas como podem ver pelo mapa, demos uma volta maior, mas até foi bom porque ao fazer o caminho ao longo da muralha, deu para perceber que a fila para a entrada sem bilhete era gigante. Nós, entrámos em 5 minutos. Existem dois percursos a fazer no Museu, o percurso curto e o longo. O curto serve para quem quer chegar mais depressa à Capela Sistina, mas se tiverem tempo, façam o percurso maior, vale bem a pena. Saímos e voltamos a fazer a muralha, agora no sentido da Praça São Pedro, com o objectivo de visitar a Basílica. A entrada é gratuita e pode fazer fila para entrar, por causa do detector de metais.

Saímos do Vaticano em direcção ao Castelo de Sant´Angelo, o que se faz em 10 minutos. Atravessamos a ponte e fizemos o percurso pelo rio até à Piazza del Popolo. Ao todo, andámos quase 3 km. Se o tempo estiver ameno o passeio faz-se muito bem e sempre se fica a conhecer a zona ribeirinha de Roma.

Agora reconheço que o que programei para este dia foi puxado. Este último caminho custou-nos bastante e estávamos tão cansados que quase que desistimos, não fosse ter os bilhetes comprados. A área do jardim é enorme, como podem ver no mapa e entrámos do lado oposto à Galeria, mas era essa a ideia, par podermos aproveitar o passeio, mas fica a sugestão de optar por colocar a Vila Borghese para um dia menos puxado a nível físico.
A Galeria é de visita obrigatória para quem gosta de arte, acreditem. Valeu a pena a compra antecipada dos bilhetes, pois raramente há bilhetes para o dia e, naquele caso, estavam já esgotados para os dois dias seguintes.
De regresso ao hotel, fizemos o caminho pela Via Pinciana até à estação de metro Spagna, o que demorou mais uns 20 minutos a pé. Ao todo, fizemos 27 kms.


Circuito 3º dia
Uma vez que o bilhete dá para as três áreas marcadas, optámos por começar o percurso pelo Coliseu. Primeiro porque têm uma estação de metro mesmo ao lado e segundo porque queríamos entrar cedo por causa das filas. Uma vez mais compensou ter os bilhetes já comprados, entrámos num instante.
Do Coliseu passámos para o Palatino, passando pelo Arco di Constantino e terminamos no Fórum Romano.

Ainda no Fórum Romano, começou a chover, felizmente foi o único dia. Estávamos de impermeáveis, mas sem chapéu e o resultado foi uma bela molha. Já na Piazza Venzia, encontrámos um restaurante super porreiro, com uns menus de prato e bebida a 9,90€ que é coisa rara por estas bandas. O local muito confortável, quentinho, com staff muito simpático e a comida feita na hora e muito saborosa. Fica a dica.

Depois de almoçar, tivemos de regressar ao Hotel para tomar um banho e mudar de roupa. A cidade de Roma é tão, mas tão poluída que a água da chuva estava suja e a nossa roupa ficou num estado lastimável. Depois, reparámos que os carros ficaram imundos, depois da chuvada.
De volta à rua, seguimos caminho para a zona do Circo Massimo, que só vimos de longe do alto do Palatino. Ao fim de 750 m encontrámos a famosa Bocca della Verità, mas com a enorme desilusão de não poder colocar a mão e dizer uma mentira. É que o monumento está numa zona cercada de grades que encerram 17h30 e nós chegámos às 17h39. Sim! Foi um galo e tanto.

Circuito 4º dia
Com o objectivo de visitar a Arquibasílica de São João de Latrão, fomos de metro S. Giovanni. Mais uma vez chegámos cedo, pelo que foi possível visitar a igreja sem grande confusão. Quando saímos, já estava a entrar muita gente. Depois seguimos o jardim até à Basílica de Santa Cruz de Jerusalém que é também muito bonita.

No 5º e último dia, uma vez que o check out era feito antes do 12h00, aproveitamos a manhã para fazer um último passeio, muito à semelhança do primeiro dia. De regresso ao Aeroporto, ainda passei pelas brasas. A zona comercial do Fiumicino não é grande coisa, o da Portela é bem maior e com muito mais oferta, mas serve sempre para comprar os típicos chocolates de viagem, que na minha humilde opinião já foram bem mais baratos. Hoje em dia é tudo caríssimo.

E é isto! Entretanto já estou a pensar na próxima :)

Espero que as dicas vos sejam úteis.