sexta-feira, 4 de março de 2016

Um olho no burro e outro no médico!

Na sexta-feira passada, a minha filha aleijou-se num joelho. Anda sempre a dançar Hip-hop e num dos seus moves sentiu um estalido no joelho que a fez ver estrelas. Ainda pensei que lhe passasse durante o fim de semana, com gelo e algum descanso, mas a dor permaneceu, por isso, resolvi ir ao Hospital com ela, mais que não fosse para que lhe receitassem um analgésico ou algo do género. 
Na 2º feira, fui ao Hospital da Luz e detestei! Falta de organização, indisponibilidade dos funcionários da recepção (chegam mesmo a ser arrogantes) e até mesmo a pressa do médico ortopedista em colocar a minha filha numa sala de operações. O médico mal lhe viu o joelho e passou logo uma prescrição para uma ressonância magnética. Fiquei tão surpreendida com o "despacho" que não fiquei convencida. 

No dia seguinte, fomos à CUF da Infante Santo que, para além do excelente atendimento, faz as coisas pela ordem certa. Passamos pela triagem, algo que pelos vistos não existe no Hospital da Luz, de seguida fomos atendidas por uma médica de serviço permanente, super atenciosa, que depois de fazer o despiste necessário e observar o joelho, solicitou um raio-x. 

Resultado: a minha filha tem um osso do joelho em calcificação, normal para a idade. Magoou-se e tem partes moles inflamadas. Nada que um anti-inflamatórios não resolva.

Imaginem se vou na conversa do outro fulano!

2 comentários:

  1. Oh senhores! Bolas que nem nos médicos podemos confiar!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredita! Ainda para mais quando temos seguros de saúde que comparticipam as nossas despesas numa boa parte. A saúde é mais um negócio em Portugal.

      Eliminar

Talk to me ;)