quinta-feira, 17 de março de 2016

quarta-feira, 16 de março de 2016

Quem te avisa...

Ontem levei na cabeça por causa do último post. A minha amiga do peito, que mesmo longe está sempre por perto, ligou-me e disse-me poucas mas boas em relação ao que escrevi aqui. Fui parva e acabei por lhe dizer que mais valia escrever em anonimato. Ninguém gosta de ouvir verdades.

Se a M. tinha razão? Claro que sim! Eu sei que ela tem razão, afinal, esta coisa preta no meu peito já devia ter desaparecido há muito. O sentimento não estava morto, mas sim dormente e foi reavivado pelas variadíssimas imagens espalhadas pelas rede socais, que espelham a felicidade que o dito vive no momento com a outra.
Bahhh, bem sei que deveria estar-me a borrifar para estas coisas, mas quem não se sente não é filho de boa gente e a mim, incomoda-me a valer. Principalmente porque este fulano tinha horror em se expor em redes sociais e agora dá nisto....é FCBK, é Instagram, é Twitter, só falta aparecer numa reportagem na CMTV.

M, eu estou em franca recuperação, mas até estar completamente free, deixa-me espumar pela boca à vontade, afinal tristezas não pagam dívidas mas DESABAFAR FAZ TÃO BEM À ALMA.

...provavelmente este será o último post sobre o tema...vou-lhe fazer o enterro, entrar de luto e volto depois de umas merecidas férias, com coisas bem mais interessantes para vos contar.

sexta-feira, 11 de março de 2016

Assunto para valentes!

Houve uma altura em que por aqui só se escrevia coisas complexas, como são os assuntos do coração. Desengane-se quem pensa que esta coisa dos amores é para meninas! É para valentes, isso sim, porque quanto maior é o amor, maior poderá ser em queda. É da queda que vos vou falar. Do autêntico esbardalhanço, se me permitem o termo. Eu, por exemplo, tenho imenso jeito para a queda, de tal forma que estou a pensar tirar um Pós-doc.

Esta coisa de dizer: Ah e tal...já me passou, nem penso no gajo.
Tretas! Tudo tretas! Há que os ter no sítio e reconhecer que, de vez em quando, ainda ando de joelhos, a chorar baba e renho, por algo que se foi há muito. Não confesso, assumo! Sim. Odeio-o de tanto que gosto. Ainda gosto dele. Assumo que sempre que posso espreito como vai, o que faz, pelo menos do que partilha. Malditas redes sociais, são tão boas, tão boas que nos mostram mesmo o que, aparentemente, está escondido. Já dizia o outro, gato escondido com rabo de fora. Desprezo-o tanto que não me consigo afastar. Estas coisas do coração não são para fraquinhos, pois há que ter um estômago forte para vê-lo ao lado da "outra" que agora assume o papel de "a tal", ou the special one (em inglês soa sempre melhor). Depois vem a amiga e diz: Mas porque é que vais à procura se sabes o que vais encontra? Ó senhores! O humano é um ser estranho. O que fazer quando a cabeça diz uma coisa e o coração outra? É que este gajo (o coração) têm vontade própria. Não há maneira de o meter na ordem.

Eu sei, eu sei, isto passa! Mas primeiro que passe...it´s a bitch! 

quarta-feira, 9 de março de 2016

segunda-feira, 7 de março de 2016

Saborista


Já ouviram falar no Saborista?

O SABORISTA é uma loja online que promove uma relação privilegiada do consumidor com as tuas marcas preferidas.No SABORISTA, acessível em www.saborista.pt, podes encomendar os produtos da SUMOL+COMPAL e parceiros e recebê-los em casa, sem custos adicionais. 

Todos os meses são lançadas edições exclusivas e limitadas das marcas presentes na loja para oSABORISTA - os chamados “Exclusivos”. Estas edições especiais pretendem dar ao consumidor experiências únicas, misturas originais, ingredientes raros ou reeditar sabores que marcaram a histórias das marcas. 

Fiz a minha encomenda e fiquei positivamente surpreendida pela pontualidade e simpatia.
Gosto de serviços de excelência. Bravo Saborista!!!

sexta-feira, 4 de março de 2016

Um olho no burro e outro no médico!

Na sexta-feira passada, a minha filha aleijou-se num joelho. Anda sempre a dançar Hip-hop e num dos seus moves sentiu um estalido no joelho que a fez ver estrelas. Ainda pensei que lhe passasse durante o fim de semana, com gelo e algum descanso, mas a dor permaneceu, por isso, resolvi ir ao Hospital com ela, mais que não fosse para que lhe receitassem um analgésico ou algo do género. 
Na 2º feira, fui ao Hospital da Luz e detestei! Falta de organização, indisponibilidade dos funcionários da recepção (chegam mesmo a ser arrogantes) e até mesmo a pressa do médico ortopedista em colocar a minha filha numa sala de operações. O médico mal lhe viu o joelho e passou logo uma prescrição para uma ressonância magnética. Fiquei tão surpreendida com o "despacho" que não fiquei convencida. 

No dia seguinte, fomos à CUF da Infante Santo que, para além do excelente atendimento, faz as coisas pela ordem certa. Passamos pela triagem, algo que pelos vistos não existe no Hospital da Luz, de seguida fomos atendidas por uma médica de serviço permanente, super atenciosa, que depois de fazer o despiste necessário e observar o joelho, solicitou um raio-x. 

Resultado: a minha filha tem um osso do joelho em calcificação, normal para a idade. Magoou-se e tem partes moles inflamadas. Nada que um anti-inflamatórios não resolva.

Imaginem se vou na conversa do outro fulano!

quarta-feira, 2 de março de 2016