quinta-feira, 9 de abril de 2015

Viagem a Londres |2|

Continuação...

2º dia (5º feira)
Depois de acordar cedinho e tomar o pequeno almoço, a nossa primeira paragem foi no British Museum. A entrada nos museus é gratuita, pelo menos, na maior parte. E há pelo menos dois que não devem perder. Este foi o primeiro museu que visitámos, até porque está localizado a 10 minutos do Nacional Royal Hotel. O espólio que detêm é simplesmente magnífico e dado à dimensão do British Museum , o melhor é optar por escolher as alas mais importantes, aquelas que não querem mesmo perder.

Fica aqui a minha sugestão que ocupa uma manhã.
No rés do chão - Sala 25 - Galeria de Escultura Egípcia onde vão encontrar, entre muitas outras coisas, a Pedra da Roseta, segundo eles a verdadeira (cheira-me que é uma cópia, a original deve estar bem guardada), a Sala 8 - Esculturas do Pártenon, algumas das que faltam em Atenas estão aqui, e as Salas 16 e 17 - Galerias Assírias.
No 1º piso - Sala 41 Medieval Antigo, Salas 49 e 50 - Galeria Weston da Roma Britânica e Salas 61, 62, 63, 64, 65 e 66 - Galerias Egípcias.

Tentem planear a visita para a abertura e a um dia de semana, nas férias escolares estes museus ficam à pinha e até há filas para entrar.
Voltámos ao hotel na hora de almoço para comer qualquer coisa e trocar de calçado, afinal, parecia que não ia chover e não choveu (que sorte!). De volta ao passeio e com as energias renovadas, apanhamos o metro em Russel Square para Convent Garden com o objectivo de visitar o mercado. Por lá, há uma série de lojas e bancadas de rua, com tudo o que se possa imaginar. Muita cor, muita gente, muitos aromas a comidas típicas de vários países, uma cantora lírica que cantava para quem passava, muitos quadros, malas e souvenirs. Há de tudo para todos os gostos.
Descemos a Southampton Avenue até avistar a Waterloo Bridge. Atravessámos a ponte para a outra margem. Do lado de lá o imponente London Eye. Optei por comprar a maior parte dos bilhetes pela net, assim, o dinheiro que levei comigo era só para o metro e para as lembranças. Depois de muito pesquisar, acabei por comprar um género de passe combinado para duas atracções. Podem combinar até 4 atracções, tudo depende de quanto estão dispostos a gastar. Eu comprei para o London Eye e Madame Toussaud (aqui) e depois da experiência digo-vos que são ambas fantásticas e que devem fazer parte da vossa agenda de viagem. Quando chegámos ao (local onde fica) dirigi-me à boxoffice onde se levantam os bilhetes. Tinha duas pessoas à minha frente, por isso, fui rapidamente atendida. Entregaram-me os bilhetes para andar na cápsula que leva 25 pessoas, mas felizmente não fazem questão de lotar o espaço com a sua capacidade máxima. A fila para entrar, devia ter umas 100 pessoas, ou mais, mas a verdade é que está tão bem organizado que esperámos menos de 15 minutos para saltar para dentro da nossa cápsula. Eu digo saltar, porque a roda não para de andar, nem mesmo para entrar ou sair, mas descansem os menos aventureiros, é tão lento que dá, perfeitamente, para uma senhora de 80 anos entrar e de andarilho. Contem com 30 minutos de volta e com uma vista fantástica da cidade de Londres. Simplesmente fantástica. À saída vão passar por um género de loja de souvenirs onde vai aparecer a vossa fotografia da entrada. Eles fazem questão de tirar a fotografia mas só comprar se quiserem. Eu cá acho que é sempre um serviço muito caro. Fotografias tiro-as eu!
Seguimos para a Westminster Bridge para admirar o famoso Big Ben, mesmo a tempo das badaladas que anunciavam as cinco da tarde. Mesmo a tempo de tirar a fantástica foto selfie five o´clock tea.
Subimos pela White Hall Street até Trafalgar Square, passando pelo Horse Gards Parade onde o pessoal aproveita para tirar fotografias com os guardas de vermelho. Quando chegámos a Picadilly já estava a escurecer e a hora era perfeita para usufruir das luzes e das cores desta praça. Um lugar mágico, apinhado de vida.
Próximo destino Chinatown. Um bairro pitoresco, decorado com balões chineses e mergulhado num cheiro agridoce. Entre tudo o que se conhece desta cultura, descobri aqui uma pastelaria com bolos fantásticos, feitos pelos chineses. E eu que pensava que eles apenas sabiam fazer os bolinhos da sorte. O aspecto destes bolos era de fazer crescer água na boca e não conseguimos resistir em provar uma fatia daquelas delícias que se exibiam na montra.
Nesta zona há muitas lojas de souvenirs e há que aproveitar, porque pelo que vi, é onde se conseguem os melhores preços.

Seguimos pela Shaftbury Avenue e encontramos a TK e a Primark em tamanho XL. Segundo dizem, a primeira é uma loja de roupa barata, é um facto, posso confirmar, mas também feia como tudo. Típica roupa de feira. Na segunda, supostamente uma das maiores da Europa, confirma-se a grandeza do loja, quanto ao conteúdo, tal e qual como cá com a diferença dos preços estarem em libras e pelo que vi, tudo um pouco mais caro que cá. De qualquer forma, só queria partilhar a informação porque sei que há quem procure estas duas lojas, que são na verdade muito fáceis de achar, mas a qualidade da roupa da Primark deixa muito a desejar.

De regresso ao Hotel, registámos 17 quilómetros percorridos o equivalente a 24.700 passos. Só nos restava dormir para poder estar frescos e fofos para o dia seguinte. 

Sugestão : Troquem o vosso dinheiro por libras no vosso banco. Em princípio vão conseguir o melhor câmbio (as comissões depende de banco para banco). Eu pedi a reservas das libras que queria comprar, com uma semana de antecedência, e no dia que as fui levantar ao balcão, recebi notas novinhas em folha e em diferentes valores para facilitar os pagamentos.

...continua...

13 comentários:

  1. txiii bateuuu tanta saudades!!! Também deixou outro conselho, cartão de multibanco/crédito, é necessário fazer qq coisa cá (algo como desbloquear) para que funcione lá. A minha sorte é que fui com o meu marido, porque senão não tinha dinheiro para nada. Ainda bem que gostaste. Não fui ao Madam Toussoud fica para uma proxima (que espero breve).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu levei libras. A utilização dos cartões no UK cobra comissão para além do câmbio que nem sempre é o mais favorável. Quanto à Madame Toussoud tens mesmo de ir, é fantástico :)

      Eliminar
  2. Ai que saudades de ir a Londres que me apetece ir já amanhã :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro viajar, seja para onde for.
      Quanto a Londres, hei de voltar!

      Eliminar
  3. Revi com enorme prazer alguns dos locais já visitados. Imagino as dores nas perninhas... mas vale bem o esforço.
    (Já não falta tudo para a Irlanda)
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena o esforço, se vale.
      Irlanda...que bom! Boa viagem :)

      Eliminar
  4. Obrigada por esta viagem virtual

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre às ordens!
      É um gosto partilhar convosco.

      Eliminar
  5. aprendemos sempre muito contigo, obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado eu, estrelinha :) por te ter sempre aqui por perto.

      Eliminar
  6. Isso é que é memso andar..... mas eu tb sou assim: se vou passear a algum lado é a pé que se ve as coisas.
    BOAS FÉRIAS!!!!!

    ResponderEliminar

Talk to me ;)