segunda-feira, 6 de abril de 2015

Viagem a Londres |1|

É oficial! Eu adoro Londres.
Como habitual, deixo aqui um género de diário com algumas dicas para quem quiser visitar esta cidade maravilhosa.

Três meses antes da viagem, tratei de criar um roteiro com o que queria ver, o preço das principais atracções e recolhi uma série de dicas na internet. Reservei os bilhetes pela TAP (158 € por pessoa) uma vez que a diferença deste para uma companhia low-cost não variavam muito na altura da reserva. Prefiro sempre levar mala no porão, porque para lá não há muito a levar, mas no regresso, há sempre muito para trazer. Quanto ao Hotel, depois de várias pesquisas, decidi utilizar o lastminute.com site onde consegui o melhor preço para o Royal Nacional Hotel (250 € por pessoa 5 noites).

1º dia (4º feira) Chegada!
42 horas antes do voo, fiz o check in online para poder escolher os lugares no avião. Como gosto de ir sempre à janela, nunca deixo que o meu lugar seja escolhido ao acaso. A minha mãe veio de Santarém com o meu padrasto de carro até ao Aeroporto, onde previamente combinado, estava um colaborador do Lisboa Park (estacionamento low-cost) que estava encarregue de receber o carro e leva-lo para o estacionamento. Para o regresso, já tínhamos combinado a entrega do veículo à hora da chegada, o que funcionou lindamente. Mais barato e muito mais eficiente que o parque da ANA que é bem mais caro. Não é necessário fazer o pagamento antecipado, cobram 5,00 € por dia e não levam nem mais um cêntimo por entregar ou levantar o carro no Aeroporto.

Aterrámos no Aeroporto de Gatwick às 15h50, apenas 10 minutos de atraso. Já tinha feito a reserva do transporte que nos iria levar para o centro de Londres, o easyBus. O mais demorado, sem dúvida, mas também o mais barato (14,34 € por pessoa/ ida e volta). Depois de todas as simulações que fiz, percebi que o preço compensava bem os 90 minutos que levamos de caminho. O autocarro é da Nacional Express e para além de ter wi-fi a bordo, é super confortável. Fiz a reserva para as 17h00, já a contar com o tempo de desembarque, recolha de bagagens, ida à casa de banho...o suficiente para não perder a "boleia".

Chegámos à Victoria Station por volta das 18h30. Daqui, é muito fácil encontrar o caminho para o metro londrino, o famoso Underground. Seguimos caminho para a estação Russell Square. Para andar no London Tube, optámos por comprar um Oyster Card para cada um. O cartão em si custa 5 £, que nos são devolvidas quando entregarmos o cartão de volta. Da primeira vez carregámos os cartões com 5 £ cada um, mas no final da viagem chegámos à conclusão que o ideal é carregar logo com 20 £. De qualquer forma, o que não for gasto, é devolvido no final.

O Royal Nacional Hotel, fica muito bem localizado, como podem ver no mapa, a menos de 5 minutos da estação de metro. Este gigante tem 7 andar com 250 quartos em cada um deles. Um total de 1750 quartos, imaginem o monstro... como tem muitos quartos, também tem muita gente e há sempre muito movimento nas duas entradas do hotel. Pelo que me apercebi, é o eleito dos grupos escolares, talvez pela relação localização/preço. Não tenho nada a dizer dos quartos. O tamanho, perfeitamente aceitável para o objectivo e as camas confortáveis. Já o chuveiro...acredito que podia ser melhor. Atenção, que neste hotel não há shampoo ou gel de banho de oferta, se não levarem o vosso necessaire recheado, vão ter de tomar banho com o soap ranhoso que vem no pacote. Em compensação, há uma cafeteira eléctrica no quanto e todos os dias repõem o chá, café e pacotinhos de leite para fazer um galão. O pequeno almoço era fraco para quem está habituado a pequenos almoços com grande variedade, ainda assim, aceitável. Senti falta da fruta, mas o muesli era muito bom. O ponto fraco do hotel é o wi-fi. Só tínhamos acesso a rede no hall de entrada e o sinal era tão fraco que raramente se conseguia manter por mais de 10 minutos.

Neste primeiro dia, uma vez que chegámos ao hotel ao final da tarde, depois de jantar ainda fomos dar uma volta pelas redondezas, mas confesso que não nos deitámos muito tarde já que o objectivo era acordar cedo e cedo erguer.

...continua...

5 comentários:

  1. Olá . vi o seu blog e achei muito interessante .
    Gostaria de contar com a sua presença no meu blog para
    dar conhecer a minha pagina , Terei todo o gosto seguir o vosso blog .
    Tenho uma pagina , apartamentos/Moradias para férias nos Açores ,
    Madeira , Portugal , se desejar ver …
    http://ernestocastanha.blogspot.com/2015/03/ferias-em-sao-miguel.html

    ResponderEliminar
  2. Txi bateu sôdadesss!!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo10.4.15

    Olá. Gostaria de lhe fazer uma pergunta relacionado com o Oyster Card. No final de Março estive em Londres e comprei o cartão. Inffelizmente vim embora sem ter tido oportunidade de o devolver, mas agora tenho uma pessoa amiga que vai visitar Londres e vai puder fazê-lo por mim. Mas pensava que nos devolviam apenas as 5 libras da compra do cartão. Afinal também devolvem o dinheiro que está no cartão? Tenho lá 5 libras e pouco, não chega a 6... E o que é preciso fazer? Simplesmente devolver na bilheteira e dão-nos o dinheiro do cartão e do que lá estava empregue? Eu comprei na Stratford Station, tem de ser devolvido na mesma ou pode ser noutra?

    Obrigado,
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana,
      É devolvido o valor da caução (5£) e o valor que tiveres carregado e não tiveres gasto. Eu , por exemplo, recebi 12 £ ao todo quando devolvi o meu. E podes entregar em qualquer estação, desde que o faças numa das "cabines" de compra. Na máquina não dá.
      Espero ter respondido à tua questão.

      Eliminar
  4. E que tragas Nao só a mala cheia de lembranças mas o coração cheio de boas recordações!!!!

    ResponderEliminar

Talk to me ;)