sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Sou uma tia babada, confesso!


E não é que vou mesmo!
Este fim de semana vou ter o meu sobrinho cá em casa e vai ser uma festa. Já comprei as panquecas que tanto gosta, umas quantas saquetas de cromos para a caderneta dos animais e já fiz planos para fazermos umas quantas coisas giras.
O tempo passa a correr e, não tarda, o meu sobrinho cresce e depois vai querer é passar os fins de semana com a namorada em vez da tia, por isso, sim! Vou desfrutas das pequenas grandes coisas como dedicar um fim de semana inteiro ao meu sobrinho lindo e enchê-lo de mimos, mais a minha filha.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Vai uma ajudinha?


Quero comprar uma máquina de filmar para as férias da Páscoa, mas estou super indecisa em relação ao que comprar. Queria uma coisa com qualidade mas não muito cara. É que há umas em conta, na ordem dos 200 euros mas a qualidade de imagem, reproduzida na televisão, é muito fraquinha.
Há por ai alguém que domine o tema? Ou que tenha uma câmara com a qual esteja satisfeito. Venham daí essas dicas.

E...bem sei que dá para filmar com a máquina fotográfica e com o smartphone, mas não é a mesma coisa. Para além disso, há semelhança do ano passado, quero que seja a minha filha a filmar a viagem. Quem sabe não está ali uma futura realizadora.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Querido, levas tu a malinha?

E é isto...uma pessoa saí do trabalho e encontra na rua um casal de namorados, em que ele leva a malinha da menina. Não resisti em fotografar o momento.
Nunca compreendi esta mania de os namorados andarem com as malas das suas respectivas namoradas. Afinal, se as malas são delas, porque raio é que têm de ser eles a carregar com elas? Eu nunca deixei que o meu namorado/marido andasse com a minha mala, em circunstância alguma, mesmo quando pesadas. Uma coisa é dizer: Olha agarra aqui um bocadinho enquanto aperto os atacadores! Agora, pedir ao patego que ande a carregar a mala enquanto ela se passeia, leve e contente...por favor! E não me venham com a tanga do romantismo...porque não é nada romântico ver um tipo a passear de malinha na mão.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Onde está a neve?

Na primeira semana do ano fomos dar um passeio à Serra da Estrela, mas na altura estava despida de neve, e embora fosse esse um dos objectivos da viagem, ficamos encantados com a outra visão que se têm da serra, em vez do branco, brindámos ao verde que ela nos ofereceu. Aqui e ali, nas nascentes brotava o gelo, mas não mais do que isso. Estava frio, mas o Sol estava quente e aqueceu-nos o coração durante todo o fim de semana. 
Fotografias do Hotel Serra da Estrela
Passamos uma noite no Hotel Serra da Estrela, mas Penhas da Saúde. Não tirei fotografias ao quarto mas o que está na internet é bastante fiel ao original. Quartos super confortáveis, staff muito simpático, vista fabulosa e um pequeno almoço impecável. Fica a sugestão para quem queira pernoitar para estas bandas.
1 - Pedaço de neve (só meu) onde me esbardalhei completamente e fiquei estendida no chão em posição de morto. Se alguém me ajudou a levantar? Não! Estavam ocupados a rir à gargalhada.
2- Vista do Castelo de Abrantes, com frio mas muito Sol.
3- Ainda em Abrantes, encontramos um Cisne armado em vaidoso, que enquanto nos distraia com as suas piruetas, meteu o bico na mala da minha mãe a ver se havia alguma coisa para comer.
4 - Vista do nosso quarto no Hotel Serra da Estrela e a fotografia foi tirada às 6 da matina.
5- Voltando a Abrantes, ao ponto mais alto do Castelo, onde tirei uma panorâmica fantástica.
6 - Um género de Nossa Senhora do Monte, ao qual subimos a deitar os bofes pela boca, enquanto a minha mãe gritava do outro lado do monte: - Ai, tu por favor tem cuidado! - Bah! Sim Mamã, eu só tenho 38 anos, lol. 
7- O local estranho, onde ao entardecer, alguém teve medo de se aventurar no meio do matagal. Ah ah...Nós e os montes...e as velhas...(long story)
8- A cabeça da velha, ora aqui está! É a primeira vez que a vejo, porque das outras vezes estava tapada com neve.

Adoro estes passeios familiares, é só rir.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Prendas para...

...mim!
Se há coisas que gosto é de adquirir produtos que me deixam satisfeita em relação à qualidade/preço.
Através do site Planeo comprei um voucher para uma tela com foto personalizada (40x50) por 15,99€, em vez de 32,00€. Com este voucher, fui ao site Prendas para e pedi a impressão de uma fotografia da minha irmã e do meu sobrinho, para lhe oferecer no Natal, pagando apenas as despesas de envio (4,90€). Recebi a encomenda no trabalho, uns dias depois de fazer o pedido e fiquei tão satisfeita fiquei com vontade de comprar uma tela para mim. A impressão é de alta qualidade e os acabamentos (parte de trás) são excelentes.

Esta semana, chegou a "prenda para mim", a tela que encomendei com a impressão de uma das minhas fotografias favoritas (tirada num jardim em Dublin). Não ficou gira?

Agora só falta escolher a parede onde a vou colocar.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

O Gladiador?

Montagem feita pela Cat
Este ano a minha filha vai entrar nos exames nacionais do 9º ano, tendo que prestar prova de Português e Matemática. Para ajudar na preparação, no caso de Matemática, está a ter aulas de apoio para ver se consegue uma boa nota. Na disciplina de Português as coisas são ligeiramente diferentes. No primeiro período "estudámos" o Auto da Barca do Inferno e, neste segundo período, já me adiantei e com uns apontamentos dos Lusíadas para podermos estudar juntas. Para a B. é mais fácil estudar acompanhada e eu faço um refresh, que bem preciso.
Qual não é o meu espanto, quando a B. me diz com um ar preocupado:

- Mãe, estamos desde o inicio do 2º período a ver o Gladiador nas aulas de Português.
-What???? Como assim?
- Sim, o Gladiador, sabes qual é?
- Sei!!! E por isso mesmo é que não percebo o que é que isso tem a ver com os Lusíadas. 

Eu cá não sou professora mas, o que é que uma coisa tem a ver com a outra, alguém me explica? Queixei-me à Directora de Turma e, na aula seguinte, a professora lá resolveu começar a dar, finalmente, a matéria proposta para este segundo período.

Ai senhores, pobre Camões...já não basta teres perdido um olho, agora também te querem tirar a língua.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Como foi o 2014?

 Comecei o ano na Disneyland Paris com a minha filhota, na Páscoa fui até Dublin com um grupo de amigas e no verão, consegui passar uma semana no sul de Espanha com a família. Se viajar é um dos meus maiores interesses, posso dizer que seria difícil ter sido melhor.

A família, felizmente está bem de saúde, todos eles. Felizmente o "bicho mau" parece ter deixado a minha mãe em paz e temos fé que não nos volte a assombrar. Tive a felicidade de celebrar o 90º aniversário da minha avó querida e a minha filha está a tornar-se uma adolescente responsável, sensível e cumpridora, como ela própria diz: uma pessoa do bem! O meu sobrinho já fala e é adorável quando pela tia "Pata", é o menino dos meus olhos. A família continua a aumentar e estamos todos bem de saúde. Não poderíamos desejar mais ou melhor.

No trabalho, se o primeiro semestre foi relativamente calmo, o segundo foi completamente caótico. Houve um pouco de tudo. Desilusão, angústia, receio...mas a vida continua, de uma forma ou de outra, apenas com a diferença de que a incerteza faz com que alguns planos tenham de ficar em standbay, mas acredito que os possa retomar em breve. O 2015 trará novidades nestes campo, sem sombra de dúvidas.

O coração continua a bater dentro do meu peito e isso é o mais importante. Se não sorri sempre, sorri algumas vezes, as necessárias para me manter com esperança de que um dia possa sorrir diariamente. Para já, basta que continue a bater forte para que possa encontrar a tal janela.

No final, há que dizer que foi um ano bom. Com mais impostos, com menos dinheiro. Com mais tristeza, mas com mais saúde. Com boas e más notícias. Com momentos fabulosos e momentos esmagadores. Com vida! Essencialmente com vida.

Bem haja!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Chega!

Raramente abro o meu coração e exprimo o que verdadeiramente sinto, mas há sempre uma amiga do peito que nos permite atingir um estágio de liberdade emocional, onde é possível falar sobre o assunto. Em conversa com a minha melhor amiga, comentava que me sentia um pouco magoada com o insucesso da minha última relação. Com um tom firme disse-me: "Chega de arrastar cadáveres, chega! Acabou, morreu! Está na altura de abrir a janela, respirar o ar puro, seguir em frente."

Sábias são as palavras da minha amiga que me conhece tão bem e sabe que arrasto comigo um vazio imenso de algo que já expirou há algum tempo.

A minha última relação durou uns pares de anos mas nunca foi de pedra e cal, poderia até dizer que nunca foi um compromisso assumido. Seria um género de namoro inocente, em que ambos sabíamos que embora fosse bom estarmos juntos nunca iríamos ficar juntos. Esta relação tornou-se muitas vezes uma ralação, ora estávamos bem, ora estávamos mal. Fizemos as pazes vezes sem conta e recomeçávamos tudo outra vez, mas tal como o começo, depressa chegava o fim. Desde que o conheci que nunca mais me interessei por ninguém, por isso, posso dizer que nestes últimos seis anos lhe fui fiel, mesmo quando estávamos afastados. Em contrapartida, do outro lado, houve pelo menos um par de tentativas para encontrar alguém. Das duas vezes fui devidamente notificada, não sei bem se pelo facto dele precisava de ficar de consciência tranquila, ou se terá sido um gesto de misericórdia a fim de me libertar, a verdade é que, independentemente da razão pela qual o fez, a mim, doeu-me horrores.

Por razões que desconheço, acabou sempre por ficar sozinho, o que fez com que de uma forma ou de outra, acabássemos por retomar "velhos hábitos", se é que me entendem. Este último retorno foi diferente, pelo menos para mim. A minha cabeça estava em sintonia com o coração e achei que finalmente, tínhamos chegado à conclusão de que não conseguimos estar muito tempo um sem o outro. Que o que existia entre nós era algo único e que jamais se dissiparia.

Voltou a partir. E aqui, dentro do meu peito ficou novamente a tristeza de perceber que há coisas que não mudam, nunca. Chega de arrastar cadáveres, como diz a minha amiga. Chega de achar que com ele vai haver um "e foram felizes para sempre".


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

A fazer planos para...


...viajar!
Não consigo estar quieta. Não consigo deixar de sonhar com este e aquele sitio. Parar é morrer. Abro mão de uma série de coisas para poder viajar, porque é esse o momento da vida em que sou mais feliz. E que venham as férias da Páscoa para eu poder zarpar daqui para fora. 

Como o orçamento é limitado, embora as minhas viagens de sonho sejam noutros Continentes, vou ter de me manter pela Europa. Fiz uma pequena lista das capitais onde já tinha estado - Estocolmo (Suécia), Budapeste (Hungria), Praga (República Checa), Paris (França), Roma (Itália), Vaticano, Atenas (Grécia), Dublin (Irlanda) e Madrid (Espanha)...agora é a vez de Londres!

Já tenho voo e hotel reservado, mas aceito de bom agrado, dicas de quem já esteve por terras de sua Majestade. 

Já estou em countdown!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

O meu chaveiro

Finalmente! Encontrei a caixa perfeita para colocar as chaves, na entrada. Ainda para mais, foi um verdadeiro negócio da China. Encontrei-a numa loja chinesa, em Castelo Branco, e não tinha preço. A avaliar pelas peças que estavam na mesma prateleira, penso que o preço deveria andar por volta dos 10 ou 12 €. Cheguei à caixa e disse que queria saber o preço, ao que a moça responde: São 7 €. Eu examinei a caixa de perto e percebi que lhe faltava um pedaço de madeira.

- Ah...espere! Tem defeito...Pois assim não levo! - disse eu com determinação.

A chinesa olhou para mim e disse:

- Espele! Eu faço desconto. 3,50€ é um bom pleço.

Se é um bom preço? Então não!
Depois, em casa, só precisei de lhe dar um toque mágico para ficar perfeita no meu hall de entrada.
Adoro estes negócios.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Parabéns BFF!

A minha BFF faz hoje 40 anos e eu, felizmente, tive a oportunidade de estar sempre por perto nesta última década. A M. é uma amiga de ontem, de hoje e se sempre. É daquelas amizades incondicionais que raramente se encontram na vida.
Parabéns M. Muitos parabéns!!!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Meio de fugida...


Nestes últimos meses este blog parece sofrer de alguma inércia. Não por falta de palavras, ou de temas a comentar mas, por falta de vontade. A verdade seja dita! Não tenho tido pachorra. Afinal, para tudo é preciso inspiração e eu, sinto que a minha fugiu. Tenho se ver se a encontro por ai.

Agora, se me dão licença, vou ali tratar de uma coisa super-hiper-mega importante, já que amanhã é um dia MUITO especial. Bom ano!