sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Olhar cinematográfico |57|

Quem diria que um dia Angelina Jolie faria de bruxa má? Pois que esse dia chegou e esta senhora veio mostra, uma vez mais, que o céu é o limite. Eu sou suspeita, pois tenho uma profunda admiração pela actriz, mas ainda assim, penso que será unânime dizer que teve um excelente desempenho no papel de Maléfica. 
Elle Fanning, a irmã mais nova de Dakota, foi a escolhida para o papel de Aurora, a bela adormecida, porém, acho que podiam ter escolhido uma outra actriz, na minha opinião não me parece ter tido um encaixe perfeito. 
Para quem conhece o clássico da Disney (1959), encontra aqui uma nova perspectiva sobre as verdadeiras intenções de Maléfica. Como dizia o outro: nem tudo o que parece é! Num cenário fantástico, envolvido em plena magia, é o filme ideal para se ver em família num final de tarde de domingo.

Este filme tem de tudo. É uma história comovente, hilariante e até irónica, que nos revela a vida de cada uma das mulheres da família Weston, que se reaproximam depois de uma fatalidade no seio familiar, que as veste de luto. 
Embora o elenco seja de peso, com muitos nomes conhecidos, incluindo o Ewan MacGregor de quem eu gosto tanto, é Meryl Streep a rainha do elenco. Esta mulher é um verdadeiro camaleão do cinema.
Não me canso de a ver representar.

Mais uma excelente sugestão retirada do blog da Dora.
Este é um telefilme da HBO, adaptado por Ryan Murphy,de uma peça de teatro homónima de Larry Kramer. Baseado em factos reais, relata a luta de Ned Weeks (Mark Ruffalo) pelos direitos dos homossexuais na década de 80. Este cria a organização Gay Men’s Health Crisis (GMHC) para lutar contra o HIV, enquanto vê o namorado Felix Turner (Matt Bomer) padecer da doença. Inevitavelmente, obriga-nos a reflectir sobre a trágica disseminação da epidemia, que tirou a vida a centenas de pessoas na época e que, infelizmente, hoje continua a afectar milhares de pessoas. 
Foi impossível não ficar emocionalmente afectada, se é que me entendem (snif, snif).

Já tinha lido um post sobre este filme no blog da Dora e achei estranho nunca ter ouvido falar dele antes. Fiquei curiosa, até porque para além da Noami Watts, o elenco é enriquecido com o Tim Roth, actor com quem simpatizo. Mas a verdade é que o desempenho notório é de Michael Pitt. 
Não será um filme para todos os gostos. Eu diria que nenhum espectador fica indiferente, se bem que o sentimento que provoca em nós, pode muito bem, variar de pessoa para pessoa. 


Noah (2014) 7/10«
Apesar da polémica que surgiu sobre este filme, não fosse ele retratar um momento bíblico, era daqueles filmes que não poderia falhar na minha watchlist. E não me enganei. Darren Aronofsky, também realizador de Requiem for a Dream, O Wrestler, e Black Swan, sendo este último o meu favorito, chega agora com esta nova perspectiva de uma história que toda a gente conhece, de Noah, interpretado por Russell Crowe, que leva a cabo os desígnios de Deus. 
Um filme com uma beleza espantosa com um toque de magia, muito no género de O Senhor dos Anéis. É muito o meu género de filme.

7 comentários:

  1. Tanta pena que tenho de não poder ir mais vezes ao cinema... adoro! Não tenho tempo... :(
    P.S. Já tirei aquela coisa lá da minha chafarica ;)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uns bons 3 anos que não vou ao cinema :)

      Eliminar
  2. já tenho aqui uns tantos filmes para ver!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...é um dos meus passatempos favoritos!

      Eliminar
  3. Boas dicas como sempre :)

    Bjs*

    ResponderEliminar
  4. Só vi o primeiro e o último e adorei esses dois :) Vou anotar os restantes!

    ResponderEliminar

Talk to me ;)