quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Ainda sobre o dia de ontem...


Pela manhã, as moças lá do cafofo juntam-se para o café. Tema do dia, claro está - Dia de São Valentim (sim porque Dia dos Namorados é um bocado piroso).

Vou narrar o momento usando nomes ao acaso, qualquer semelhança com a realidade será pura coincidência.

Flauzina: Oh pá, tu nem imaginas a minha vida, ontem cheguei a casa e o meu Fulgêncio não me deixou entrar.
Menisberta: Então?
Flauzina: Oh pá, meteu-se aos berros a dizer - espera não entres já!!! - e eu não pude entrar em casa, achas normal?
Menisberta: Mas afinal o que se passou?
Flauzina: Então não é que tinha a casa cheia de velas e a mesa pronta para jantar, tu já viste a minha vida?!?
Menisberta: Ohhhhhh!
Flauzina: E espera, ainda há mais. Como se isto não bastasse, não me deixou aproximar do frigorífico até ao fim do jantar.
Menisberta: O que estava lá dentro?
Flauzina: Dois pires com duas fatias de bolo de chocolate e morangos, achas normal?!?

WTF???
Ela estava a queixar-se do excesso de romantismo do desgraçado. OMG!!!
Enfim, afinal...não é mito, os opostos atraem-se.

18 comentários:

  1. umas com tanto e outras sem nada! :p
    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Ela não sabe dar valor ao que tem.

    ResponderEliminar
  3. Se o M. me fizesse isso eu derretia-me toda. Mas sinceramente não ligo muito ao dia e não me importo nada que ele não faça. (sim porque o romantismo do M. é mais ou emnos parecido com uma pedra... tal como o meu)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Fogo...
    Umas com tanto e outras sem nada!!!!

    Pirosa!!!!
    Bjstos

    ResponderEliminar
  5. Acho que para o ano não tem direito a nada :)

    ResponderEliminar
  6. ninguém nunca esta satisfeito :)

    ResponderEliminar
  7. Daqui há 2 anos a conversa vai ser assim:

    - Flauzina: Oh pá, tu nem imaginas a minha vida, ontem cheguei a casa e o meu Fulgêncio não me deixou entrar.

    - Menisberta: Então?

    - Flauzina: Oh pá, meteu-se aos berros a dizer - espera não entres já!!! - e eu não pude entrar em casa, achas normal?

    - Menisberta: Mas afinal o que se passou?

    - Flauzina: Então não é que tinha a casa cheia de velas, música romântica a tocar e mesa cheia de comida? Tu já viste a minha vida?!?

    - Menisberta: Ohhhhhh!

    - Flauzina: E espera, ainda há mais. Já estava uma mulher sentada à mesa, linda de morrer, por sinal. 19 anos. Toda jeitosa. Se eu fosse lésbica, digo-te que...

    - Menisberta: Ok, podes parar por aí. Não quero saber mais!

    - Flauzina: Como se isto não bastasse, não me deixou aproximar do frigorífico até ao fim do jantar.

    - Menisberta: O que estava lá dentro?

    - Flauzina: O vinho que eu tinha comprado e preparado para celebrarmos os nossos 10 anos de casados. Ele usou-o com outra gaja. Achas normal?!?
    ..........

    ResponderEliminar
  8. Hum... E os nomes das personagens? Ninguém fala disso? Os nomes das personagens estão geniais parti-me a rir :p Que imaginação boa e divertida Martinha :)*

    ResponderEliminar
  9. Meu deus, que mulher esquisita...

    ResponderEliminar
  10. Marta,
    Podes crer, eu cá derretia-me toda, mas isto sou eu, que sou uma eterna romântica ;)

    Carolina,
    Quando der pode ser tarde, não é?

    Pipa,
    Ok, mas pelo menos estão bem um para o outro, agora, quando um tipo se dá a este trabalho e ela acha uma coisa banal...enfim.

    abspinola,
    Ora nem mais!!!

    Nokas,
    Olha que não, esta gente tem sorte pá! Na volta para o ano o tipo faz uma cena ainda maior.

    Palco,
    Essa é a grande verdade.

    Lucas,
    Excelente! Só tu. Adorei, clap, clap, clap ;)

    Catarina,
    Obrigado pela referência aos nomes. Deu-me um trabalhão a escolher cada um deles. Não fosses tu e ninguém topava pá. Grande Catarina ;)

    S*
    Eu não tenho nada contra a moça, até é porreira, agora...dai até andar a "comer na frente dos pobres"...é pá isso é que não ;)

    LOL
    Bom, que fique claro que este post não serve para "abater" a moça, ela é simpática e não faz mal a uma mosca. Só tive pena que não apreciasse o gesto do "piqueno". Até porque já me aconteceu...ter um trabalho do caraças e do outro lado...não ligarem patavina. Enfim.

    ResponderEliminar
  11. Pobre e mal agradecida :)**

    ResponderEliminar
  12. Anónimo16.2.12

    É como aquela canção - Eles não sabem, nem sonham. Correcto?

    ResponderEliminar
  13. O meu é mais ou menos assim, lucky me ;)

    ResponderEliminar
  14. Podem dizer que sou novo... mas a chegar aos 25, continuo sem perceber 99,9% das mulheres.... Nunca estão contentes com o que têm.. Querem apenas aquilo que não têm.. Só gostam daquilo que não deviam gostar nos homens.. A única conclusão que chego é que a melhor invenção do homem será o hipotético dia em que conseguir criar um manual de instruções para a lidar com a mulher.. É que actualmente é uma tarefa impossível! Para quando a mudança de paradigma??
    ; )
    bj

    ResponderEliminar
  15. Pedro Gonçalves:

    Podem dizer que sou novo... mas a chegar aos 25, continuo sem perceber 99,9% das mulheres....

    Junta-te aos 99,99% dos homens que dizem exactamente o mesmo. Mas eis o grande segredo: não é suposto o homem entender as mulheres visto que - como se pode ver pelo post - nem elas mesmo se entendem entre si.

    O que é suposto é tentar viver com isso de forma que o casamento funcione. Se vamos tentar entender, perde-mo-nos.

    A única conclusão que chego é que a melhor invenção do homem será o hipotético dia em que conseguir criar um manual de instruções para a lidar com a mulher.. É que actualmente é uma tarefa impossível! Para quando a mudança de paradigma??

    Felizmente que já existe tal manual.

    Ei-lo aqui.

    ResponderEliminar
  16. Muito bom Lucas! Vou mandar vir esse Manual! ; )

    ResponderEliminar

Talk to me ;)