quarta-feira, 16 de novembro de 2011

To be, our not to be romantic


-Porque será que os homens deixam de ter gestos românticos depois de alguns anos de namoro?
-Pfuuuuu, porque a conquista está feita, há que ter trabalho apenas para manter!
-Ya, depois admira-te que a coisa arrefeça. Uma mulher tem de ser conquistada todos os dias.
-Oh pá isso dá muito trabalho!

Quando se inicia uma relação é tudo um mar de rosas. É jantares românticos, mimos, palavras meigas, mensagens, toques, velas, presentes, tudo e mais alguma coisa. Depois, quando tudo está garantido, estas coisas desaparecem aos poucos. Estes gestos deixam de surgir de forma natural e o romantismo fica guardado num canto. Não há surpresa, não há inovação.
O carinho e o mimo entre casais deveria ser uma coisa eterna. Dou imenso valor aos casais que estão juntos há anos e que continuam a andar de mão dada na rua, que continuam a levar o pequeno almoço à cama, que casualmente planeiam um jantar romântico. Sei que existem muitos casais assim, mas começa a ser raro. Hoje, tudo é been there, done that, next!

Ok, assumo! Eu sou estupidamente romântica.


17 comentários:

  1. Esta é totalmente a onda dos meus últimos posts. E tu és totalmente da minha onda também: romantismo para a frente ou então a vida não tem piada =P E é precisamente do trabalho e do desafio que eles gostam: afinal no início de uma relação têm esse trabalho. Depois é que de uma ou outra parte é que se começa a assumir que o trabalho está feito.

    ResponderEliminar
  2. Eu me confesso: eu também...
    E faço o memso raciocínio que tu: está feta a conquista...nada mais!
    lamentável....depois se admiram quando mulher acaba por se deixar seduzir quando, alguém, lhe faz um elogio...lhe sorri...a olha com "aquele" olhar!!!!
    Eu sou romântica e fico ferida quando "eles" agem com indiferença.

    Um bj

    ResponderEliminar
  3. Sabes, eu não me considero romântico, mas até concordo contigo neste post

    ResponderEliminar
  4. se isto for uma petição,eu assino ;)

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente o que está "na moda" é os jantares românticos com a outra..

    ResponderEliminar
  6. É verdade, o romantismo anda pelas ruas da amrgura, tal como muitas outras coisas no mundo atual e é preciso saber resuscitá-lo.

    Só discordo de uma coisa, muitas vezes o romantismo ou a falta dele, é sempre colado à atitude que os homens deixam de ter, como se as mulheres o tivessem sempre em conta em todas as situações da sua vida. Muitas vezes o romantismo acaba também por culpa delas, especialmente as que de um dia para o outro passam a ser mães ao mesmo tempo e esquecem que continuam a ser mulheres.

    ResponderEliminar
  7. Martini,
    Esta não é uma mensagem para os homens mas sim para um casal. De facto a conversa foi feita entre uma mulher e um homem mas isso não quer dizer que creia criar rótulos. É óbvio que cabe aos dois manter acesa a chama. O romance tem que surgir de ambas as partes mas deixa-me clarificar o seguinte, quando uma mulher tem um filho, não deixa de ser mulher. Esse tema daria pano para mangas! O que uma mulher deixa de ter é tempo disponível para fazer o que bem entende. Muitos casais que conheço separaram-se porque eles se sentiam negligenciados dizendo que elas nunca tinham tempo para nada e que faltava o apetite sexual. Na verdade, isso não deixa de ser uma grande desculpa para poderem arranjar poiso lá fora.
    Depois de parir, uma mulher sente-se disforme, afinal houve uma mudança brutal no seu corpo durante nove meses. Voltar ao seu estado normal não é fácil e requer uma certa adaptação. Esse trabalho deve ser feito pelo casal e aqui também pode entrar o romantismo, de ambas as partes. Provavelmente, com o stress dos primeiros messes, é natural que a mulher não se sinta tão disposta para grandes momentos sexuais, mas por experiência própria, a vontade existe. Há desejo, há apetite e uma vontade brutal de que o nosso par resista a este “momento” de forma paciente mostrando o seu companheirismo.

    ResponderEliminar
  8. Olá Marta, eu sou como tu!
    Por acaso eu e o meu T. ainda andamos de mãos dadas, eu levo mais vezes o peq. almoço à cama (mais naquela de ele acordar:)) ele ainda prepara muitas surpresas e fazemos jantarinhos romanticos à luz de vela e com direito a umas belas massagens!!! Isto já lá vai 16 de casamento e 4 de namoro! mas tb depende muito de cada pessoa em se empenhar para que as coisas continuem a ser especiais, nós gostamos muito de mimos e por isso damos para depois tb recebermos!
    bjs

    ResponderEliminar
  9. Querida Marta, nós aqui por casa, somos a excepção à regra, então! Ainda fazemos muitas escapadinhas românticas e todos os meses naquele dia especial, trocamos uma prendinha e/ou almoçamos fora! ;)

    ResponderEliminar
  10. Fico contente por saber que algumas de vós conseguem manter o romantismo nas vossas relações. A vida é curta e é muito difícil encontrar a nossa alma gémea. Se ela está do vosso lado, aproveitem todos os minutos.

    ResponderEliminar
  11. Marta: Gostei muito de ler o teu esclarecimento e concordo plenamente contigo pois sei que não é uma fase fácil para nenhuma mulher. É que regra geral, costumam sempre dizer que os homens é que perdem o romantismo primeiro, ou que são apenas eles que o perdem e isso não é verdade. Da minha parte continuo a sê-lo e acreditar que esse ingrediente é fundamental para qualquer relação perdurar.
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. eu tambem sou estupidamente romantica e concordo contigo. parar de conquista o par é meio caminho andado para a rotina e para o fracasso da relação! Há que manter a chama acesa :)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Deve ser das Martas ;)

    ResponderEliminar
  14. Nunca se é estupidamente romântico apenas por se acreditar que nos podemos reinventar diariamente...

    ResponderEliminar
  15. Ainda bem que há quem ainda pense assim ;)

    ResponderEliminar
  16. eu sou, também, estupidamente romântica. Acho que a piada de uma relação está também na conquista permanente, nos planos a dois, nas prendinhas fora de datas especiais, nos mimos todos os dias, das mãos dadas em cada saída à rua. Acho que só assim um amor pode ser feliz.

    ResponderEliminar

Talk to me ;)