terça-feira, 17 de novembro de 2009

Há coisas do diabo


Hoje falei com um amigo de longa data e percebi que afinal eu não sou assim tão azarada quanto isso, ora vejam só:

Casou com a namorada de 4 anos, 3 meses depois estavam em processo de divórcio.Conheceu uma enfermeira pela qual se apaixonou, casou e teve uma filha, mudou-se de armas e bagagens para o Norte e ao final de um ano estavam a dar-se mal. Hoje está separado a viver num quarto alugado na casa de uma senhora de 66 que vive com 2 cães, com problemas de saúde, magro que nem um pau de virar tripas, desempregado e sem possibilidade de arranjar emprego porque entretanto fez uns biscastes onde queimou um pé, que o impede de andar, como não estava a contrato nem sequer tem direito a baixa. E há mais, está fora de questão voltar a Lisboa porque entretanto dá-se mal com os pais.

Bolas…e eu aqui a queixar-me com problemas que não consigo resolver a questão com a minha cara-metade.

Hoje pensei: Olha Marta, acorda mas é para a p*** da vida!


5 comentários:

  1. Depois não quero que me respondas...Oh Marta, não acho normal!

    Tu é que a sabes toda.

    Beijos Limão

    ResponderEliminar
  2. Credo! Nenhuma das tuas viaturas teve tanto azar :)
    Mas houve uma altura em que ele teve sorte... ;)

    E tu vais resolver as coisas...

    ResponderEliminar
  3. Será?
    Espero que sim!
    Beijos

    ResponderEliminar
  4. É mesmo!

    Muitas vezes dou por mim a pensar exactamente a mesma coisa...

    É estranho, mas a "miséria" dos outros pelo menos a mim não me consola nada.

    Bêjos

    ResponderEliminar

Talk to me ;)