quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Um desejo...


Estávamos todos lá fora, deliciados com o céu negro, aveludado e cheio de estrelas. Cada um de nós escolheu a sua constelação favorita e eu por razões óbvias escolhi a Draco, embora pouco visível. Com a falta de luz que existe no meio rural é fácil distinguir as estrelas, elas são o foco mais intenso de luz por estas bandas. Gosto da noite do campo, pelo cheiro, pelos sons, pelo céu belíssimo que nos oferece. Ando sempre atrás das estrelas cadentes mas nunca tenho muita sorte, contudo fomos brindados com uma dessas estrelas que passou disparada com uma cauda enorme. Rasgou o céu com uma velocidade brutal. Na verdade todos a conseguimos ver o que é na realidade muito difícil, quando um olha para a direita o outro olha para a esquerda e lá se vai a oportunidade. Mas naquela noite todas a conseguimos ver. Ficamos em silêncio e todos pedimos um desejo, mesmo quem não acredita que se possa realizar.

Ouviu-se uma gargalhada e alguém diz:
-O que foi que pediram? Eu peço sempre saúde para mim e para os meus.
-Eu também, isso e que os meus avós vivam muitos anos.

Eu fiquei calada. Senti-me tão egoísta. Eu pedi para receber uma mensagem, uma palavra que fosse para ter a certeza que não se esqueceu de mim.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Finalmente uns dias longe!


Já estava a precisar de carregar baterias. Arrumei uma mala com pouca roupa e terça-feira de manhã lá fui eu rumo a Odeceixe mais dois amigos. Fomos acampar e valeu a pena a aventura, já não acampava há muitos anos e estes dias trouxeram-me boas recordações. Claro está que na mala não faltou a máquina fotográfica e com ela trouxe umas quantas fotos de paisagens magníficas.
Hoje estou de volta a Lisboa mas por apenas algumas horas, vou passar a próxima semana a Santarém junto da família.

Em Setembro regresso com a força que é necessária para lidar com os meus fantasmas.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Amar é...



Amar é saber libertar...

É deixar-te seguir o teu caminho ajudando a retirar as pedras que te atrapalham.

Amar é aceitar o teu destino.