segunda-feira, 9 de junho de 2008

O campo traz-me calma


O cheiro da relva cortada enche-me os pulmões de um aroma estonteante. O sol parece mais forte e o chilrear dos pássaros é uma constante.
Adoro os passeios ao final da tarde, quando o calor parece ser vencido pela brisa fresca que vem do Oeste. Caminho pelo alcatrão concentrada apenas no que o meu olhar permite ver sob o horizonte. Os campos estão amarelos do trigo tratado pelo Sol. A natureza aparece na sua forma mais pura. Não há carros, nem correrias. Não há a pressão dos relógios nem o stress das multidões. Pareço perdida contudo encontro-me aqui, na imensidão do azul do céu pintado. É ao final da tarde que a brisa parece trazer os sons que nunca notamos, os sons de um campo habitado por seres que parecem não existir. Tenho calma e era isto que procurava.

4 comentários:

  1. Anónimo10.6.08

    Calma?!?Tu não precisas disso :)A tua energia não acaba nunca.

    ResponderEliminar
  2. A energia até pode não acabar mas certamente que existem alturas em que há necessidade de uma injecção para o SOL voltar a brilhar na sua máxima força.

    Senhora, descança e volta em pleno.
    (**,)

    ResponderEliminar
  3. Se há algo que faz bem à alma é passear no campo. De todos os elementos naturais, a terra é o que nos dá mais paz interior.

    ResponderEliminar
  4. Preciso de calma para pôr as ideias em ordem. Também eu preciso de retiros espirituais ;)

    *****

    Rodela, tu conheces-me bem e sabes que preciso disto para esclarecer ideias. O Sol vai voltar, melhor que nunca, nem me vais reconhecer ;)
    bjs

    *****

    Bhixma a verdade é que sempre que regresso às raizes sinto-me mais forte, mais centrada. Este reencontro é necessário para poder encontrar esta paz!
    Bjs

    ResponderEliminar

Talk to me ;)