sábado, 24 de março de 2007

Estou novamente de partida.


Desta vez vou até à Suécia…por duas semanas.
Merecidas férias!
Sinto-me cansada. Não tenho férias desde Outubro do ano passado e os fins-de-semana sabem a pouco.
Ando tão cansada...Tenho andado a arrastar-me para o trabalho e espero ansiosa pelo final do dia. Deito-me cedo e custa levantar-me de manhã. Sinto o corpo moído do stress diário.
Merecidas férias.

Vou estar longe, sem stress, sem cumprir horários, só bom feeling.

P.S.
Antes de partir deixa-me dizer que vou sentir saudades tuas…
Tentarei guardar essa saudade e depois quando te vir…dou-te um abraço daqueles para compensar.

Até breve.

quinta-feira, 22 de março de 2007

Uma breve nota


Às vezes sinto que não te consigo alcançar...mas quem corre por gosto não cansa.

quinta-feira, 15 de março de 2007

Estou de volta…

Completamente renovada.
Vivi 4 dias intensos em Paris. Nem sei se consigo descrever o que senti.
Um verdadeiro misto de sentimentos.
Senti-me banhada com todas a maravilhas que esta pequena viagem me pode proporcionar. Foi curto o tempo, mas ainda assim foi bom, muito bom.
Consegui conciliar algo que pensei que seria impossível…enfim uma viagem fantástica.

Consegui visitar alguns pontos que tinha marcados na agenda.

Visitei a Notre-Damme e as suas magnificas gargulas.
Quando entramos na Igreja estava a ser celebrada a missa, o cheiro do incenso inundou-me a alma e o sol que entrava colorido pelos vitrais levitou-me por alguns minutos. O som solene fez-me arrepiar e quando ouvi o órgão não consegui evitar e comovi-me. Subi os 387 degraus até ao topo. Lá em cima a tranquilidade tomou conta de mim e por momentos deixei-me adormecer sabendo que o meu coração estava completamente rendido.

O Sena… que belas margens.
Nunca pensei ver tantas pessoas sentadas no chão a apanhar sol…algumas liam outras comiam, muitas acompanhadas, algumas sós. Todas a fazer o mesmo, receber aquele calor que teimou durante os 4 dias.
Também nós nos sentamos nos degraus a comer e a apanhar sol, com um som de fundo, vindo de um saxofone perdido nas mãos de um músico apaixonado.

A Torre Eiffel apresentou-se na nossa frente, imponente.
Nem os 45 minutos na fila de espera para entrar, nos demoveram da subida vertiginosa. O elevador causava algum frio no estômago mas a vista do 3º andar superou tudo. Simplesmente magnifico. A uma altura de 300 m e com visibilidade de 70 km à nossa volta. Mesmo com algum receio devido à altura não deixei de gozar aqueles 30 minutos de glória. Eu, com Paris a meus pés.

Saint-SulpiceUma igreja obrigatória no nosso roteiro, pelo menos para dois de nós.
Deixou-me um pouco desiludida porque estava mal conservada, se bem que já esta a ser preparada para o devido restauro.
O que aí mais me surpreendeu foi ouvir a voz de uma criança a ler um salmo. Devia ter uns 8 ou 9 aninhos. Uma voz inocente…

Museu do Louvre
Aqui tudo é fascinante. Adorei o espaço, a arte, a organização.
Antes de entrarmos sentamo-nos ao pé da pirâmide maior, a apanhar sol e a comer qualquer coisa. não demoramos mais de 2 minutos para entrar e o preço pareceu-me bastante acessível para a quantidade de cultura que se pode absorver lá dentro. Das 3 alas principais optamos por ver apenas a Denon, pois o tempo não nos permitia muito mais, mas sem dúvida vou voltar.

Visitamos também o Museu Picasso, o Centro Pompidou, o Trocadéro, o Moulin -Rouge, Montmartre, Place do Tertre, a Place de la Bastille e muitos outros.
Para isso valeu-nos as fabulosas linhas de metro francesas.

Como se diz por lá: Visiter Paris en toute liberté

sexta-feira, 9 de março de 2007

Paris ai vou eu....


Sábado apanho o avião para Paris.
Vou com um grupo de bons amigos partir à aventura parisiense.
Estou a precisar. São só 4 dias mas vão saber a pato!
Vou-me ausentar por alguns dias mas prometo voltar com muitas novidades.
Beijos e até breve.

terça-feira, 6 de março de 2007

Olhar cinematográfico |1|


Labirinto de Fauno

Não há dúvida que cada vez gosto mais de cinema espanhol.
Este ainda reforçou mais esta ideia.
Adorei o filme e recomendo.

As cores, os sons…o arfar da “princesa”, o apertar das luvas negras em pele do vilão…o ranger da madeira…até parece que dá para sentir o cheiro a musgo do Fauno.

Verdadeiramente sublime.