sábado, 20 de janeiro de 2007

Aqui fica então o poema…



Deixa dizer-te os lindo versos raros
Que a minha boca tem para dizer!
São talhados em mármore de Paros,
Cinzelados por mim para te oferecer.

Têm dolências de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder…
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos para te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não t´os digo ainda…
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei…
E nesse beijo, Amor, que não te dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!


Florbela Espanca

6 comentários:

  1. e que belo poema.....
    beijo vagabundo

    ResponderEliminar
  2. Ás vezes é tão mais fácil escrever aquilo que se anseia dizer mas que não tem forma de sair!

    Haja tomates!!!

    (Será que vais deixar ficar este comentário depois de eu ter usado a palavra "tomates"?)

    ResponderEliminar
  3. Já conhecia o soneto: lindíssimo.

    Obrigado por nos recordares esses versos mágicos que uma mulher apaixonada murmurou pela primeira vez lá para as bandas do Alentejo... e que ainda hoje ecoam nos corações dos que a lêem.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Passei para dar um ola... tudo bem??????? Gosto sempre de passar no teu cantinho, sente-se nele alguma paz, mas cheia de gritos silenciosos....

    ResponderEliminar
  5. Adorei ler este poema, alias adoro Florbela Espanca.Ja agora ...aproveito para te desejar um BOM 2007. Bjs

    ResponderEliminar
  6. Tudinho...Bom D+++++ !! Obrigada , Ler teu Blog é uma viagem ...bjs da Beth

    ResponderEliminar

Talk to me ;)