domingo, 2 de julho de 2006

Este ano fico por cá...

Ultimamente não me tem dado para escrever, não sei se por falta de tempo, se por falta de tema. As aulas acabaram e agora tenho mais tempo para me dedicar aos prazeres da vida, não fosse as horas que perco no trabalho e até poderia dizer que estou numa fase feliz…bom, não se pode ter tudo e o trabalho faz bem… a qualquer coisa que ainda não percebi bem.
Assim a minha vida tem sido mais soft, entre a lida doméstica e o emprego, encontro sempre tempo para fazer o que mais gosto, agora o problema é mesmo esse, eu gosto de fazer tanta coisa…que nem sei para onde me virar.
Este ano não vou poder viajar para o estrangeiro e isso deixa-me triste. 2006 é um ano de contas, de poupanças e de algum esforço financeiro. Tenho de ser pragmática e calcular tudo ao centímetro. Resta-me então aproveitar ao máximo uma ou outra escapadinha do tipo “vá para fora cá dentro” e nos momentos mais saudosistas aproveito e relembro as duas últimas viagens maravilhosas que fiz nos dois anos que passaram.

Em 2004 fui para o Egipto, esta era a minha viagem de sonho, consegui concretiza-la e foi magnífica. Andei anos a imaginar como seria e acredita que foi mesmo excelente. Descobri cantos lindíssimos, cheiros exuberantes… o por do sol africano que é de um esplendor radiante. Ao vivo tudo tem outra dimensão, senti-me esmagada com tão nobre e majestosa arquitectura. Como fiquei apaixonada pelo cheiro do Norte de Africa e pela cultura muçulmana, no ano seguinte fui rumo à Tunísia. Mais um encanto. Sem querer comparar com o Egipto, pois isso seria impossível, achei este país maravilhoso. Os contraste do deserto com as lindíssimas praias, os cheiros dos mercados…enfim mais uma panóplia magníficas maravilhas que o mundo nos oferece.

São estas viagens que me dão alento para suportar as horas que desperdiço, fechada, dentro do edifício onde trabalho. Mas este ano tenho de procurar forças noutro projecto. Este é um ano de poupança, da paz, do sossego… quero estar sempre em estado zen e não me aborrecer com nada. Contarei sempre até dez, ponderando todas as altitudes. Já que não posso dedicar-me ao conhecimento de novas culturas, dedico-me então a quem me rodeia.
Para o ano tenho a certeza que será um ano de viagens e de muitas outras coisas boas.

1 comentário:

  1. HELLOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

    força portugalll!!!!!não fikes assim..já foste a tanto sitio...

    ResponderEliminar

Talk to me ;)